Caracterização das associações

 Figura 1 Distribuição das associações científicas por tipo (%)

 N= 107
 
Considerando a classificação concebida para efeitos do recenseamento de associações (Figura 1) verifica-se a predominância das associações disciplinares, seguidas das associações vocacionadas para a cultura científica.
 
Mais de metade das associações inquiridas (52%) são da área das ciências naturais ou afins, menos de um quarto (26%) são da área das ciências sociais e humanas e as restantes são interdisciplinares ou sem área disciplinar (Figura 2). O predomínio das associações de ciências naturais e afins não é surpreendente, tendo em conta, por um lado, a sua maior fragmentação, por outro lado, a sua história mais antiga, em particular em Portugal.
 

Figura 2 Distribuição das associações científicas por área disciplinar (%)

N = 104

 
Figura 3 Distribuição das associações científicas por ano de fundação (%)
N = 103
 
A esmagadora maioria das associações da amostra (83%) foi criada no período posterior ao 25 de Abril de 1974 (Figura 3). As associações científicas surgem sobretudo com a implementação do regime democrático em Portugal e com a instituição da liberdade de associação através do Decreto-Lei n.º 594/74, de 7 de Novembro, embora o seu desenvolvimento esteja relacionado também com outras esferas da vida pública, em particular com acentuado crescimento do sistema científico.No que toca à distribuição dos diferentes tipos de associações pela sua data de fundação nota-se que as associações de cultura científica são sobretudo um fenómeno recente, em crescimento desde a última década do século XX (85% foram criadas depois de 1990).
 

Relativamente à natureza da associação (Figura 4), tendo em conta as várias vertentes da acção de muitas das associações presentes na base de dados e a aferição da sua auto-definição, constata-se que uma esmagadora maioria das associações inquiridas (cerca de 80%) reconhece o carácter científico, sendo a valência profissional o atributo mais referido em segundo lugar (com cerca de 30% de respostas).

 

Figura 4 Distribuição das associações científicas por natureza (%)

N = 107

  Figura 5 Divisão das associações científicas em núcleos

N = 106
 
A estrutura organizacional da amostra evidencia um claro predomínio do âmbito geográfico nacional das associações científicas: 90% das associações assinalam que a sua acção abrange todo o país, pelo que apenas 10% dizem ter âmbito regional ou local.
Quase metade das associações (48%) diz ter algum tipo de estrutura descentralizadora (núcleos ou secções), sendo a maior parte de tipo temático (Figura 5).
Comments